Mary Jackson (1921-2005)

Nesse episódio traremos uma personagem que apesar de ter formação em matemática se destacou na área de engenharia Aeronáutica, trate-se de Mary Jackson, filha de Frank Winston e Ella Scott Winston, nasceu em 09 de abril de 1921 em Hampton, Virgínia, onde cresceu. Após graduar-se com as mais altas honras do ensino médio, ela continuou seus estudos no Hampton Institute ... faleceu em 11 de fevereiro de 2005.

PUBLICIDADE

COMENTÁRIOS RECENTES

Mary Jackson (1921-2005)

Mary Jackson, filha de Frank Winston e Ella Scott Winston, nasceu em 09 de abril de 1921 em Hampton, Virgínia, onde cresceu. Após graduar-se com as mais altas honras do ensino médio, ela continuou seus estudos no Hampton Institute, obtendo seu grau de bacharel em Ciências Matemáticas e Físicas (1942). Após a formatura, Mary trabalhou como professora de matemática em uma escola para pessoas negras em Calvert County, Maryland antes de ingressar na NASA.

 

Foi apenas em 1951 que a cientista começou a trabalhar com o grupo segregado West Area Computers, supervisionado por Dorothy Vaughan. Após dois anos trabalhando lado a lado com Dorothy, Jackson trabalhou para o engenheiro Kazimierz Czarnecki no Túnel de Pressão Supersônico, um túnel de vento de 60 mil cavalos que era capaz de explodir quase qualquer coisa com ventos próximos ao dobro da velocidade do som.

 

Para que pudesse realizar experimentos dentro do túnel, Mary precisou fazer uma pós-graduação em matemática e física, em cursos pós-trabalho administrados pela Universidade da Virgínia, mesmo precisando de uma autorização para frequentar às aulas junto com seus colegas brancos ela não desistiu, em 1958 tornou-se a primeira engenheira negra da NASA e coautora de seu primeiro relatório, Effects of Nose Angle and Mach Number on Transition on Cones at Supersonic Speeds.

 

Por quase duas décadas, ela desfrutou de uma carreira produtiva de engenheira, sendo autora ou coautora de cerca de uma dúzia de relatórios de pesquisa, a maioria focada no comportamento da camada limite de ar ao redor dos aviões. Em 1979, fez uma mudança de carreira dramática deixando o engenharia e ocupando a vaga de Gerente do Programa Federal Feminino de Langley onde trabalhou duro para impactar a contratação e a promoção da próxima geração de todas as matemáticas, engenheiras e cientistas da NASA.

 

Entre suas muitas honras estão o Prêmio de Realização do Grupo Apollo, e a nomeação para  Voluntária do Ano de Langley em 1976. Ela atuou como presidente de uma das campanhas anuais do centro da United Way, foi líder de uma tropa de escoteiras por mais de três décadas e membro da Associação Técnica Nacional (a mais antiga organização técnica afro-americana dos Estados Unidos). Ela e seu marido Levi tinham uma política de porta aberta para jovens recrutas de Langley que tentavam se firmar em uma nova cidade e em uma nova carreira.

 

Mary se aposentou do Centro de Pesquisa Langley da NASA em 1985 como Engenheira Aeronáutica depois de 34 anos e faleceu em 11 de fevereiro de 2005.

 

Referências:
Shetterly, Margot Lee. Mary Jackson Biography, EUA, 2017. Disponível em: https://www.nasa.gov/content/mary-jackson-biography. Acesso em: 14 mai. 2018.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Somente usuários cadastrados podem enviar comentários. Cadastre-se ou faça login